Nesse artigo você vai conhecer mais sobre fertilização in vitro espero que goste, aproveite também para conhecer outros artigos relacionados na nossa categoria de Saúde. Por favor, se esse artigo for relevante para você, deixe um comentário no final da página, e muito importante para nossa equipe! Fique a vontade e boa leitura.

Atualmente existem diferentes métodos para ajudar os casais que buscam engravidar e pelos mais diferentes motivos não conseguem.  Podemos citar como exemplos a fertilização in vitro e a inseminação artificial.

Vamos falar da fertilização in vitro muito conhecida pela sigla FIV, e que é um dos procedimentos mais realizados nas clínicas de reprodução humana.

Em uma forma bem simples de ser entendida, essa técnica consiste na fecundação do óvulo com o espermatozoide em laboratório. Esse processo in vitro é observado para garantir o correto desenvolvimento do embrião. No momento adequado ele é transferido para o útero materno esperando que a gravidez se consolide.

A fertilização in vitro consiste de várias etapas e a porcentagem de sucesso é na média de 40%. Os especialistas salientam que essa é uma ótima porcentagem e que com o avanço da medicina reprodutiva nos últimos anos, acreditam que esse número tende a crescer.

As etapas da fertilização in vitro são: estimulação ovariana, punção e laboratório, fecundação dos óvulos, cultivo embrionário em laboratório, transferência e congelamento dos embriões.

A estimulação ovariana é realizada para obter mais óvulos. A punção é feita em média 36 horas após a injeção de hormônios que induz a maturação ovariana. A fecundação dos óvulos é feita colocando um deles em uma placa rodeada de espermatozoides. O período de cultivo embrionário em laboratório é o tempo em que o óvulo fecundado é observado diariamente. A transferência é feita colocando por procedimento os melhores óvulos dentro do útero materno. Por fim se faz o congelamento dos embriões de boa qualidade para que num caso de nova tentativa não seja necessário realizar novamente a estimulação ovariana.

Mas em que casos a fertilização in vitro é indicada?

Quando um casal chega a uma clínica de reprodução humana vários exames são realizados para entender o porquê da infertilidade. Exames hormonais, morfológicos e genéticos tanto do homem quanto da mulher mostrarão qual ou quais são os problemas e indicarão o melhor caminho a ser seguido.

A fertilização in vitro é indicada para os seguintes casos:

  • Ausência ou bloqueio das trompas;
  • Idade avançada da mulher;
  • Distúrbios de ovulação;
  • Endometriose;
  • Falência ovariana;
  • Baixa na contagem, motilidade e morfologia de espermatozoides;
  • Ausência de espermatozoides no ejaculado;
  • Infertilidade sem causa aparente.

A indicação dos especialistas é que os casais devem procurar pela fertilização in vitro ou outras formas de engravidar por procedimentos, após pelo menos um ano de tentativas, ou em casos onde já se sabe de algum problema posterior depois de seis meses.

O tratamento de fertilização in vitro dura em média 20 dias por tentativa. Efeitos colaterais são poucos e o mais comum é o inchaço.

Durante o tratamento é indicado que as mulheres não façam exercícios físicos de impacto como musculação e corrida, e que tenha uma alimentação saudável, sem álcool e tabaco, assim como toda mulher que quer engravidar ou que esteja grávida.

O procedimento da fertilização in vitro ocorrendo com sucesso, os cuidados devem ser os mesmos de uma gravidez realizada naturalmente.