Nesse artigo você vai conhecer mais sobre Alimentação das Gestantes, espero que goste, aproveite também para conhecer outros artigos relacionados na nossa categoria de Alimentação. Por favor, se esse artigo for relevante para você, deixe um comentário no final da página, e muito importante para nossa equipe! Fique a vontade e boa leitura.

 

Apesar de considerar importante, grande parte das gestantes não consegue manter alimentação saudável

A gravidez é um dos momentos mais belos que uma mulher pode presenciar em sua vida, porém isso não quer dizer que é um período fácil. Todas as mudanças no corpo e os picos hormonais exigem que os cuidados com a saúde sejam redobrados, tanto para cuidar da saúde da mãe quanto para garantir a qualidade de vida do bebê.

Manter visitas regulares ao seu médico é primordial para detectar qualquer problema e trata-lo com antecedência, porém também é necessário fazer a sua parte fora do consultório, investindo em uma alimentação saudável rica em produtos naturais, frescos e nutritivos. Segundo a recente pesquisa “Como vai a alimentação das gestantes brasileiras? A mãe moderna e o desafio da nutrição equilibrada.”, a alimentação é a maior preocupação de 73% das entrevistadas, porém muitas delas admitem que devido a correria do dia-a-dia não conseguem se alimentar tão bem quanto gostariam.

 

Necessidades das gestantes

Devido a sua condição, gestantes e também as lactantes têm um aumento expressivo em suas necessidades nutricionais. Especialistas estimam que a mulher deve consumir 300 calorias diárias a mais no primeiro trimestre, visto que sua demanda por vitaminas e minerais será muito maior. Esqueça o velho ditado que “mulheres grávidas comem por dois”, não se trata de consumir uma grande quantidade de alimentos, mas investir em alimentos de qualidade e ricos em nutrientes.

Durante a gestação, é importante investir em uma dieta rica em ácido fólico, ferro e a maioria das vitaminas. O acompanhamento com um profissional é primordial, visto que será necessário balancear a alimentação, se atentar aos nutrientes que estão em falta e se necessário fazer algum tipo de suplementação.

 

O que comer e o que evitar

Durante a pesquisa, 77% das mulheres disseram incluir mais frutas e verduras durante a gestação, enquanto 44% confessaram reduzir a quantidade de açúcar ingerido. Além disso, 31% aumentou o consumo de alimentos integrais e 25% ingeriu mais proteínas e gorduras boas.

Para uma dieta mais saudável durante a gravidez, invista na ingestão de alimentos como:

  1. Leite e derivados: Segundo especialistas, a ingestão recomendada diariamente para gestantes é de 3 a 4 copos por dia. O leite e seus derivados são ricos em cálcio e auxiliam na formação de ossos e dentes do bebê. Alimentos como a couve, brócolis, sardinha, feijão, mostarda e produtos a base de soja também são ótimas fontes de cálcio.
  2. Carnes e ovos: São fontes ricas em proteínas e fundamentais na produção de células e novos tecidos para a mãe e para o bebê. É recomendado que a ingestão de proteína para gestantes seja de 60g por dia, podendo ser encontrada em alimentos como carne ovos e também ervilha, feijão, grão-de-bico, nozes e leite e seus derivados.
  3. Carboidratos: São os carboidratos os responsáveis por fornecer à gestante as calorias adicionais que ela necessita e podem ser encontrados em pães, arroz e cereais integrais que não passaram por processos de refino. Caso não consuma as quantidades adequadas de carboidratos, a gestante irá consumir seu estoque de proteína para gerar energia, causando um desequilíbrio.
  4. Couve, espinafre e brócolis: Estes alimentos são ricos em ácido fólico, nutriente que em falta está associado a más formações neurológicas. A ingestão diária recomendada é de 400 mcg e também pode ser encontrado em alimentos como morango, laranja e banana.
  5. Feijão, castanhas ou carne vermelha: São alimentos ricos em ferro e além de evitar a anemia durante a gestação também reduzem as chances de complicações durante o parto. A recomendação é de que a ingestão diária seja de 30mg de ferro, porém muitas mulheres não conseguem ingerir a quantidade necessária antes mesmo de engravidar, tornando necessário o uso de suplementos.

Também é necessário ficar atenta ao que não deve ser consumido. Alimentos ricos em açúcar, café, refrigerantes, alimentos conservados no sal, chás ricos em cafeína, alimentos crus e bebidas alcóolicas devem ser evitados nesta fase. A ingestão pode agravar problemas já existentes e intensificados pelo período da gravidez, além de ocasionar complicações para a mãe e o bebê.

Realizado por: Guia Plano de Saúde