Nesse artigo você vai conhecer mais sobre O que fazer em Caldas Novas, espero que goste, aproveite também para conhecer outros artigos relacionados na nossa categoria de Viagens. Por favor, se esse artigo for relevante para você, deixe um comentário no final da página, e muito importante para nossa equipe! Fique a vontade e boa leitura.

 

Caldas Novas

Caldas Novas é um município brasileiro do estado de Goiás. De acordo com estimativas de 2016, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sua população é de 84 900 habitantes. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, em junho de 2011 registram-se em Caldas Novas 48.242 eleitores ou 1,19% do eleitorado de Goiás.

O município é conhecido por ser a maior estância hidrotermal do mundo, possuindo águas que brotam do chão em temperaturas que variam de 43° a 70°. A principal fonte de renda do município é o turismo. Na alta temporada, a cidade chega a comportar mais de 500 mil turistas.

A estrutura da cidade conta com hotéis, pousadas, chalés, clubes, boates e bares. Uma outra grande atração de Caldas Novas é o ecoturismo, vez que a cidade encontra-se às margens do lago da represa de Corumbá e ao lado da Serra de Caldas.

Todos os anos, mais de 3 milhões de turistas visitam Caldas Novas, considerada a maior estância hidrotermal do mundo. Possui centenas de piscinas com águas termais em seus hotéis e clubes, que atraem turistas de todo o país, principalmente das regiões Sudeste e Centro Oeste.

Leia Também: O que em Ubatuba

 

HISTÓRIA

Caldas Novas pertencia a Capitania de São Paulo, quando Brasil era colônia de Portugal.

Em 1722, época do descobrimento das águas termais de Caldas Novas, o governo português, ávido pelas riquezas minerais da colônia, guardou-as para futuras explorações.

Todavia a exploração seguia com o passar dos anos. Bartolomeu Bueno Filho, filho de Anhanguera, por aqui andou. Depois Martinho Coelho, procedente de Santa Luzia (hoje Santa Cruz) considerada a primeira capital de Goiás, que a denominou de Caldas Novas de Santa Cruz.

Finalmente, na parte oriental da Serra de Caldas, as fontes termais de Caldas Novas viraram história.

Uma história com seus lances de lenda, coragem e perseverança. Conta-se que Martinho Coelho de Siqueira, numa de suas conhecidas caçadas de animais silvestres, sentiu de perto a agonia dos seus cães.

Em desabalada carreira eles passaram á sua frente como que atiçado por um fogo desconhecido, sendo descoberto a Lagoa Quente do Pirapitinga.

Nascia aí a primeira história das águas quentes de Caldas Novas, história de um arraial que virou cidade. E hoje é a capital mundial das águas quentes.

Liderados por Bento de Godoy vieram Orcalino Santos, Victor Ozeda Alla, João Batista da Cunha e outros. Eles chegaram à pequena vila que já começava a virar cidade a partir de 1900. A autonomia política, concedida a Caldas Novas, deu-se graças à solicitação destes à sede de Morrinhos.

Em 1911, por ordem de presidente do Estado, Urbano Gouveia, no dia 5 de julho nomeou Bento de Godoy como presidente da primeira intendência que foi instalada no dia 21 de Outubro. Desde então, nesta data se comemora o aniversário de Caldas Novas.

Foi durante sua administração (1911 a 1915) que Caldas Novas tomou um novo impulso para o desenvolvimento. A cidade crescia, graças à dedicação e grande força de vontade de: Bento de Godoy, Orcalino Santos, Victor de Ozeda Allá, João Batista da Cunha, Joaquim Rodrigues da Cunha, José Teófilo de Godoy, Orcalino Costa, Josino Ferreira Brettas, Modesto Pires do Oriente, Joaquim Gonzaga Menezes, Luiz Gonzaga de Menezes, Orosimbo Correia Neto, Olegário Pinto, Orlando Rodrigues da Cunha (Mestre Orlando), Oscar Santos e Celso Godoy.

 

O que fazer em Caldas Novas

Com água quentinha por todos os lados, o melhor a fazer em Caldas Novas é mergulhar nas piscinas dos hotéis e dos parques aquáticos, seja para relaxar ou para brincar. Não deixe de conhecer o Rio Quente Resort, um complexo de hotéis e atrações como o Parque das Fontes (com bares molhados e piscinas térmicas que funcionam 24 horas) e o Hot Park – mais radical e divertido, com corredeiras e toboágua.

Quem ficar com saudades da água fria pode curti-la no passeio que descortina a Serra de Caldas. O parque estadual oferece trilhas com direito a banhos em cachoeiras de águas geladas. Já o Lago de Corumbá convida à prática de esportes náuticos. O tour deve incluir também uma visita à Lagoa Quente de Pirapitinga, o local onde brotam as águas de maior temperatura da região.

 

PARQUE DAS FONTES E HOT PARK – Dezoito nascentes abastecem as diversas piscinas, corredeiras, toboáguas e lagoas do empreendimento, instalado no município de  Rio Quente  (31 quilômetros de Caldas Novas). O complexo, que conta também com hotéis e pousadas, é divido em dois espaços: o  Parque das Fontes , com bares molhados, piscinas e espaços para descansar e relaxar que funcionam.

 

LAGO DE CORUMBÁ – Além de abastecer a Usina Hidrelétrica de Corumbá I, o Lago de Corumbá é ponto de encontro dos praticantes de esportes náuticos. Com 65 quilômetros quadrados, é cenário para passeios de lancha, barco e jet-ski, que levam a cachoeiras e também a bares ao longo da “orla”.

 

PARQUE ESTADUAL SERRA DE CALDAS – Criado em 1970 para proteger o principal ponto de recarga do lençol termal da região, o Parque Estadual Serra de Caldas, entre Caldas Novas e Rio Quente, só foi estruturado para receber os visitantes em 1999. Em toda a sua extensão, que é de 123 quilômetros quadrados, as belezas da flora e fauna do cerrado brasileiro encantam a todos.

 

LAGOA QUENTE DE PIRAPITINGA – As nascentes mais quentes do Brasil estão no Parque Aquático da Lagoa de Pirapitinga, cujas temperaturas ultrapassam a marca dos 50 graus. Por ali fica o Poço do Ovo, onde a água, bastante verde, chega a 57 graus. O nome vem do fato de muitas pessoas cozinharem ovos no local. O parque aquático é repleto de nascentes.

 

COMPRAR DOCES E LICORES – A variedade de doces e licores artesanais produzidos na região é um convite irrecusável para sair da dieta. Seguindo receitas tradicionais, as lojinhas de Dona Maria e Dona Ana oferecem doces de leite, de frutas, compotas, cajuzinhos e bebidas típicas como a Pequirula, que combina baunilha, chocolate e pequi – fruto típico da região.