Nesse artigo você vai conhecer mais sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis, espero que goste, aproveite também para conhecer outros artigos relacionados na nossa categoria de Saúde. Por favor, se esse artigo for relevante para você, deixe um comentário no final da página, e muito importante para nossa equipe! Fique a vontade e boa leitura.

 

As Doenças Sexualmente Transmissíveis, como gonorreia ou AIDS, são capazes de surgir no momento em que se possui relações sexuais sem preservativo, seja por meio de do contato íntimo vaginal, anal ou oral. No entanto, as chances de contaminação aumentam no momento em que se possui diversos parceiros no mesmo período de tempo, e estas doenças afetam assim homens e mulheres de todas as idades.

Frequentemente, estas infecções geram sinais que afetam os órgãos genitais, como , vermelhão, pequenas feridas, corrimento, inchaço, dificuldade para urinar ou dor ao longo do contato íntimo e, para identificar a enfermidade correta, é preciso ir no ginecologista ou no urologista, para realizar exames específicos.

Para o tratamento, geralmente, o médico indica o consumo de antibióticos ou antifúngicos em maneira de comprimido ou pomadas, uma vez que frequentemente, as DOENÇA SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL abrange cura. No entanto, a AIDS e a herpes, não abrange cura e por isto, é fundamental evitar ser afetado usando preservativo em todas as relações.

A seguir indicamos os sinais e formas de tratamentos de todas as DSTs, também chamadas de infecções sexualmente transmissíveis e doenças venéreas.

 

Clamídia

A clamídia (Doenças Sexualmente Transmissíveis) pode provocar sinais, como corrimento amarelado e apurado, abrasamento nos órgãos genitais, dor na pélvis e ao longo o contato íntimo, no entanto em vários casos a enfermidade não causa sinais e a contaminação passa despercebida.

A enfermidade, que é causada por uma bactéria, e pode ser causada por contato íntimo desprotegido ou por meio de do compartilhamento de brinquedos sexuais, por exemplo.

Como cuidar:

Geralmente, o tratamento é realizado com antibióticos como Azitromicina ou Doxiciclina. Saiba mais detalhes sobre a clamídia.

 

Gonorreia

A gonorreia (Doenças Sexualmente Transmissíveis), é uma enfermidade causada por bactérias, similarmente conhecida como esquentamento, que pode acontecer em homens e mulheres e, é transmitida por contato íntimo desprotegido ou por meio de compartilhamento de brinquedos sexuais.

A bactéria, pode provocar dor ao urinar, corrimento amarelado similar a pus, hemorragia vaginal fora da menstruação, dor abdominal, bolinhas vermelhas na boca ou dor ao longo o contato íntimo, por exemplo.

Como cuidar:

O tratamento precisa ser realizado com o consumo de Ceftriaxona e Azitromicina e, caso não seja realizado pode prejudicar as articulações e o sangue, podendo por em perigo a vida.

 

HPV

Verrugas genitais (Doenças Sexualmente Transmissíveis) esta contaminação são formadas pelo vírus do papiloma humano (HPV), que leva ao desenvolvimento de lesões na pele dos órgãos genitais de homens ou mulheres que são capazes de ter textura suave ou rugosa, coloração que varia com o tom de pele e não geram dor porém são contagiosas.

Como cuidar:

As verrugas genitais não abrange cura, uma vez que o vírus do HPV permanece adormecido no corpo, no entanto há tratamento com a aplicação de pomadas como Aldara ou Wortec sobre as verrugas. As crises são capazes de acontecer por causa do uso exagerado de bebida alcoólica, cansaço elevado e stress, por exemplo.

 

Herpes Genital

O herpes genital (Doenças Sexualmente Transmissíveis) é uma enfermidade fácil contagioso, causada pelo vírus do herpes labial e causa pequenas bolinhas vermelhas na pele bastante próximas umas das outras, contendo um líquido repleto em vírus, de coloração amarelada e com vermelhidão ao redor que causa coceira, afetando especialmente as coxas, anus e órgãos genitais. Além disso, são capazes de provocar febre e dor ao urinar e corrimento no caso da mulher.

Como cuidar:

O tratamento deve ser realizado com medicamentos como Aciclovir, Valaciclovir ou Famciclovir, contribuindo a coarctar o aflição causado pelos sinais, uma vez que a contaminação não possui cura e os sinais são capazes de demorar até 20 dias a acabar.

 

Tricomoníase

Tudo sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis A tricomoníase é causada por um aproveitador que pleito sinais como corrimento acinzentado ou verde-amarelado e espumoso com insuportável cheiro forte e desagradável, além de que quantidade provocar vermelhão, coceira intensa e inchaço dos órgãos genitais.

A contaminação é pouco comum e similarmente pode ser transmitida pela compartilha de toalhas úmidas, banho ou consumo de jacuzzi e o tratamento é realizado com a toma de Metronidazol.

Como cuidar:

Frequentemente o tratamento desta contaminação é realizado com o consumo de antibióticos, como Metronidazol ou Tioconazol, por 5 a 7 dias. Caso o tratamento não seja realizado há maiores chances de reproduzir outras infecções, ter concepção abortivo ou reproduzir prostatite.

 

Sífilis

A sífilis (Doenças Sexualmente Transmissíveis) é uma enfermidade que causa feridas e manchas vermelhas nas mãos e membro que não sangram e não geram dor, além de quantidade provocar ablepsia, paralisia e complicações cardíacos, sendo que a transmissão similarmente se acontece por transfusão de sangue afetado e compartilhado de seringas ou agulhas e, os primeiros sinais surgem 3 e 12 semanas depois de o contágio.

Como cuidar:

O tratamento é realizado com medicamentos como Penicilina G ou eritromicina e, no momento em que realizado de modo correto há chances de cura.

AIDS

A AIDS (Doenças Sexualmente Transmissíveis) causa sinais como febre, suores, dor de cabela, receptividade à luz, dor de garganta, vômitos e andaço e a enfermidade não possui cura, somente tratamento para coarctar os sinais e reforçar o tempo e qualidade de vida.

Como cuidar:

O tratamento é realizado com remédios antirretrovirais, como Zidovudina ou Lamivudina, por exemplo, que são fornecidos gratuitamente pelo SUS. Esses remédios combatem o vírus e fortalecem o sistema imune, porém não curam a enfermidade.

 

Como saber se tenho uma Doenças Sexualmente Transmissíveis

O reconhecimento de uma doença sexualmente transmissível pode ser realizado com base nos sinais e na recomendação dos órgãos genitais, sendo confirmados por meio de de exames, como o papanicolau e o teste de Shiller, por exemplo.

Além disso, o médico pode aconselhar um exame de sangue para afirmar a pleito da enfermidade e aconselhar o tratamento mais apropriado. No momento em que é necessário repetir os exames.

 

Quando é preciso repetir os exames

No momento em que a mulher ou o homem pegou uma enfermidade sexualmente transmissível, o médico recomenda a prática de exames médicos pelo pouco de 6 em 6 meses por cerca de 2 anos, até que o resultado de 3 exames seguidos seja negativo.

Ao longo a ciclo de tratamento pode ser preciso ir no médico diversas vezes por mês para ajustar o tratamento e cicatrizar a enfermidade, caso seja possível.

 

Formas de contágio das DSTs

As DOENÇA SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL’S além de ser transmitidas por contato sexual desprotegido, são capazes de ser transmitidas:

  • De mãe para filho por meio de do sangue ao longo a gestação, pela amamentação ou ao longo o concepção;
  • Compartilhamento de seringas;
  • Compartilhamento de itens pessoais, como toalhas;

Em alguns casos, bastante raros, o progresso da enfermidade pode acontecer por meio de de transfusão de sangue.

 

Como não pegar Doenças Sexualmente Transmissíveis ?

A melhor maneira de evitar ficar afetado é usando preservativo em todas as relações, no contato íntimo vaginal, anal e oral, uma vez que o comunhão com secreções ou com a pele pode passar a enfermidade. No entanto, é essencial colocar preservativo de modo correto antes de qualquer contato.

 

O que pode acontecer se o tratamento não for feito?

No momento em que as DOENÇA SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL’s não são tratadas de modo correto são capazes de acontecer complicações mais graves como câncer do útero, infertilidade, complicações cardíacos, meningite, aborto ou malformações do feto, por adágio.